Saltar para o conteúdo

Advento

27/11/2016

Tempo de Advento

O Tempo do Advento, com o qual se inicia o Ano Litúrgico, abre para cada cristão a porta da esperança que conduz à alegria. Efetivamente, sendo um tempo de preparação do grande mistério da Incarnação, não se reduz a um conjunto de atos preparatórios, mas pretende desenvolver uma atitude de esperança, de tensão, para um encontro fundamental. Trata-se de reavivar a esperança e de fazer a experiência de um Deus que se faz tão próximo que nos impele a tocar a verdade da nossa humanidade. Por isso, somos chamados a incarnar e viver a alegria de contemplar as maravilhas que Deus faz em Maria e no nosso caminho de encontro com Ele.

As casas de Maria

O anúncio da maternidade de Maria gera nela um agudo sentimento de alegria que a faz transbordar, percorrendo caminhos para ir ao encontro de Isabel, com quem glorifica a Deus pelas maravilhas que opera na sua vida. O assentimento de Maria – no Fiat e no Magnificat – evidencia substancialmente o acolhimento que Maria faz do chamamento de Deus, da proposta divina para ser Mãe do Messias, e a correspondência que está disposta a fazer da sua vida à vontade de Deus. Por isso, foi escolhido como tema desta caminhada litúrgica, espiritual e pastoral: “Faça-se em mim, segundo a Tua Palavra”. Tendo em conta a dinâmica de acolhimento da proposta de Deus e a da maternidade de Maria em expectação, que marcam todo o ritmo do Advento, somos chamados a viver este período como acolhedores da missão para a qual Deus nos convoca. Para exprimir todo este dinamismo numa imagem que fosse a base de trabalho e de desenvolvimento da caminhada de Advento-Natal, recorremos à figura da casa, uma vez que o Plano Pastoral apresenta as Casas de Maria, como lugares de contemplação da fé: a devoção mariana (piedade popular), os santuários e as peregrinações, as famílias, a paróquia e as periferias humanas. Neste sentido, vamos construir, ao longo deste ciclo litúrgico, a Casa de Maria, para acolhermos as atitudes dela. Em cada Domingo e Solenidade será apresentado um elemento da Casa, que irá ganhando forma paulatinamente e conforme se for construindo o caminho. 

Uma atitude silenciosa

A maternidade é símbolo da esperança, da contemplação, da meditação, da fecundidade. Estes significados redundam numa atitude de silêncio, de gestação interior, de contemplação fecunda. A partir desta conceção e conforme a proposta elaborada para todo o Ano Litúrgico, vamos procurar cultivar o silêncio, como atitude a aprender de Maria, durante o Advento. Por isso, em cada Domingo e Solenidade deste período litúrgico valorizar-se-á um momento da Eucaristia, onde será feito um tempo de fecundo silêncio, introduzido por um breve apontamento, que faça adentrar cada pessoa no mistério inaudível celebrado.

(Caminhada Advento Natal da Diocese de Braga)

 

Neste 1.º domingo de Advento temos as paredes!!!

as-paredes-da-casa-de-maria

Paróquia de Sta Maria dos Anjos Esposende

15138304_10207676535531170_4872825678704953264_o

Paróquia de Sta Maria dos Anjos Esposende

15271780_10207676535851178_3968360709014153487_o

Paróquia de Sta Maria dos Anjos Esposende

1-domingo-advento-paroquia-de-fao

Paróquia de S. Paio – Fão

Anúncios

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: